A realidade sobre o colírio para catarata

03/08/2015 17:31

Nas últimas semanas houve intensa divulgação nas mídias e redes sociais sobre a descoberta de um colírio capaz de tratar e reverter a catarata.  Isso tem gerado grandes questionamentos quanto à veracidade das informações divulgadas e da existência ou não deste colírio.

 

A catarata representa hoje a causa mais comum de cegueira em todo mundo, afetando milhões de pessoas. Atualmente, o único tratamento existente é a cirurgia, na qual o cristalino (lente natural dos olhos) doente é removido e substituído por uma lente artificial.

 

Ao longo das últimas décadas, a técnica cirúrgica vem sendo aperfeiçoada progressivamente. Desta forma, hoje os resultados visuais e de reabilitação dos pacientes são excelentes, com redução drástica da ocorrência de complicações.

 

Apesar dos excelentes resultados das cirurgias de catarata, não se pode negar que traz grande impacto econômico e custos aos pacientes, planos de saúde e governos em todo mundo. Assim, a criação de um colírio que seja capaz de tratar a catarata é uma linha de pesquisa já existente há algumas décadas e com grande investimento das indústrias farmacêuticas, porém sem sucesso até então.

 

Em julho deste ano foi publicado pela revista “Nature” um estudo sobre uma promissora substância, chamada “Lanosterol”. Em células de cristalino de ratos em laboratório, e quando utilizada em olhos de cães, a substância conseguiu retardar e diminuir o desenvolvimento da catarata. No entanto, os pesquisadores não prometem deixar o cristalino 100% transparente, e a substância funciona apenas em determinados tipos de catarata.

 

Trata-se, portanto, de uma linha de pesquisa promissora e animadora, mas por enquanto, é preciso aguardar a evolução dos estudos de maneira a testar o seu efeito nos olhos de humanos, bem como os possíveis efeitos colaterais. Sendo assim, ainda não temos disponível um colírio para tratamento da catarata, como foi divulgado em alguns meios de comunicação, sendo atualmente a cirurgia a única opção. A pesquisa com essa nova substância certamente irá evoluir e os resultados responderão se será ou não possível tratar a catarata apenas com um colírio.

 

Dr. Rodrigo Arantes de Souza Lima
CRM 141481